Resenha – Volta Para Mim

voltaparamim_capaweb-jpg-200x300_q85_upscale

Livro: Volta Para Mim
Autor: 
Mila Gray
Páginas: 
265
Gênero:
Romance/Drama
Editora: 
Arqueiro
Nota: 
🍦🍦🍦🍦

Sinopse: Kit Ryan está de volta à sua amada Califórnia, de folga do serviço militar. Conquistador inveterado, ele só quer aproveitar as quatro semanas livres antes de retornar ao trabalho, mas se vê atraído pela irmã de Riley, seu melhor amigo. Há tempos Jessa Kingsley chama sua atenção, porém a família superprotetora dela sempre foi um obstáculo.

Desta vez, contudo, Kit desiste de lutar contra os próprios sentimentos e logo Jessa se rende ao seu charme. O que começa apenas como um romance de verão rapidamente se torna um relacionamento apaixonado.

Quando chega a hora de Kit voltar ao serviço com Riley, nem ele nem Jessa estão prontos para se despedir. Ela enfim está seguindo os seus sonhos e ele descobriu alguém por quem sacrificaria tudo. Jessa promete esperá-lo e Kit garante que voltará para ela. Não importa o que aconteça.

Mas então uma visita inesperada traz uma notícia trágica: uma das pessoas que ela mais ama morreu em serviço. Quem terá sido? Seu irmão ou seu namorado?

Em Volta para mim, Mila Gray constrói uma história de tirar o fôlego sobre amor, amizade e família, conduzindo o leitor por uma jornada de superação e autodescoberta.


Filha do coronel Kingsley, Jessa (18 anos) não tem muita liberdade em tomar as próprias decisões, inclusive a faculdade que vai cursar, sempre foi uma filha exemplar, recatada e com as melhores notas, porém esse quadro começa a mudar quando ela se apaixona por Kit, fuzileiro e melhor amigo do seu irmão Riley, também fuzileiro. Seu pai desaprova completamente Kit, sem nenhum motivo aparente além das brincadeiras infantis, Riley é muito protetor com a irmã e Kit tem fama de conquistador e nunca se envolveria com Jessa, pelo menos é o que ela pensa.

 “- Tudo bem com Você? – pergunta ele, já que não digo nada. Kit agora está completamente sério. – Sei que estou pondo você numa situação complicada. Nem o seu pai nem o Riley vão ficar felizes se souberem disto.

– Bom, então vamos ter que guardar segredo, não é” (p. 54).

Em segredo e contando apenas com a ajuda de Didi, Jessa vive esse romance proibido e descobre um lado seu que vive escondido sobre a presença intimidadora constante de seu pai. Sua única preocupação é que Kit só vai ficar um mês, ele deve retornar logo para as missões junto com Riley. Seu irmão consegue manter um relacionamento com Jo, mas será que Kit tentará algo duradouro? Na incerteza do futuro é melhor aproveitar o momento presente.

Mila Gray pseudônimo de Sarah Alderson, inicia esta história com um drama muito forte, já sabemos que alguém morreu na missão, a pergunta que fica é quem? Riley ou Kit? Quem Jessa perdeu, seu irmão ou seu namorado? Como viver sem um deles? Gostei da história, tem uma pitada de drama que não me deu náuseas, é uma história sobre amor, perda, família e sonhos. Acompanhamos passo a passo como os personagens lidam com a perda, e há sempre a culpa do sobrevivente, como viver quando se deveria estar morto?

Déborah Regina

 

Resenha -O Dia da Morte de Denton Little

Fala galera, tudo bom com vocês?

O post de hoje é um post resenha do livro O Dia da Morte de Denton Little, do autor Lance Rubin. O livro é uma historia divertida e incomum sobre morte, amizade e familia, e é visto por autores como a Becky Albertalli, autora de “Simon vs. a agenda Homo Sapiens” como “Engraçado, estranho e dolorosamente sensível.” – Então sem mais delongas, vamos a resenha feita pela nossa Resenhista Déborah Regina.

Capas DENTON LITTLE.cdrLivro: O Dia da Morte de Denton Little
Autor: 
Lance Rubin
Páginas: 
336
Gênero:
Ficção
Editora: 
Intrínseca
Nota: 🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Denton Little sabe em que dia vai morrer. É uma triste prerrogativa oferecida pelo governo: sempre que uma criança nasce, uma série de cálculos e exames é realizada para definir o dia exato em que ela vai morrer. O dia de Denton é amanhã.

O jovem de dezessete anos tinha um plano bem definido para seus últimos momentos: um café da manhã com muito bacon, uma corridinha para espairecer, uma maratona de filmes com o melhor amigo e finalmente perder a virgindade com a namorada. Só que nada sai como o esperado. Na véspera de sua morte, Denton acorda numa cama que não é a sua e com uma garota que não é a sua namorada. E esse foi só o começo dos acontecimentos bizarros e surpreendentes. Até seu último adeus, ele ainda terá que enfrentar crises de ciúme, triângulos amorosos, ressacas monumentais, manchas estranhas se espalhando pelo corpo e revelações bombásticas sobre sua mãe, já morta.

Divertido, sarcástico e sensível, O dia da morte de Denton Little é uma história sobre amor, amizade, escolhas e, principalmente, sobre encontrar respostas para perguntas que nem imaginávamos que nos faríamos um dia.


Denton vai morrer, sim eu sei, todo mundo vai morrer um dia, a questão é que Denton vai morrer amanhã, ele sabe exatamente o dia, mas, não a hora, nem como. Só que no dia anterior a sua morte, ele acorda na cama de Verônica que é irmã de Paolo, seu melhor amigo, e com uma ressaca imensa, como isso pode ser possível? Ele namora Taryn e nunca foi de beber, mas as surpresas só estão começando…

13872725_10154652144900579_3222823489678459798_n

Como ele vai morrer amanhã ele precisa passar pelo seu funeral, aonde as pessoas vão se despedir dele e vice versa, depois tem a festa e por último a Vigília:

“Você espera a sua morte sentado, geralmente em um cômodo de sua casa, provavelmente na sala (…). Você se reúne com os seus parentes próximos e quem mais tenha sido convidado: primos, tias, tios, avós, namorada, melhores amigos e por aí vai. Todos interagem, celebram e esperam algo acontecer. E algo sempre acontece. (p.67)”

como se o dia já não tivesse começado estranho, aparece um cara no funeral que afirma ter conhecido sua mãe biológica que faleceu no parto, o ex da sua namorada fica enchendo o seu saco querendo que ele morra logo e uma mancha super esquisita aparece na sua perna, que só vai crescendo e crescendo.

A Morte de Danton Little foi um livro que demorei a ler, não por ele ser ruim e sim porque eu tinha muita coisa para fazer na faculdade. Gostei do livro ele traz um tema que muita gente evita: A Morte é aquela coisa que a gente sabe que vai acontecer, mas não ta nem aí. No universo que Rubin criou, a esmagadora população sabe quando vai morrer inclusive Denton, mas em suas últimas horas, ele reflete que sempre preferiu levar uma vida normal e quanto mais à morte se aproxima, ele percebe que pode não ter sido uma decisão sábia, afinal, ele vai morrer mesmo não importa se ele foi um santo ou um devasso. Talvez ele deveria ter aproveitado melhor seu tempo de vida.

O livro tem a linguagem simples, letra de um bom tamanho e é tem muitas partes engraçadas, Paolo melhor amigo de Denton é totalmente louco ee desbocado, e a madrasta de Denton é muito superprotetora o que acaba sendo engraçado, sei que é difícil você esperar uma pessoa que ama morrer, a reação natural é tentar salvar, mas torna-se engraçado pois é de conhecimento universal que naquele dia Denton vai morrer e ela não deixa ele sair pou fazer qualquer coisa, vive brigando e agindo irracionalmente, o que nos prova que a racionalidade nos abandona em prol da emoção.

“ – Com todo o respeito, senhora, hoje não é o dia de morte do rapaz, de qualquer forma?

Raquel ficou temporariamente sem resposta. (p.167).”

E adorei o inicio dos capítulos em referência a um cemitério, nos lembrando que não importa o que estiver acontecendo, é um dia triste que está acontecendo. O livro também tem uma veia de suspense, pois parece que o governo está atrás do Denton, por quê? O que ele fez? será que há mais sobre sua mãe que ele precisa saber? E do que adianta ficarem atrás dele, ele vai morrer mesmo. (SERÁ?).

13892046_10154631565505579_3478038638776885707_n


Então é isso pessoal, espero que tenham gostado da resenha, se sim ou se não, deixa sua opinião nos comentários. Beijos e até o próximo post.

Déborah Regina.

Lançamentos Intrínseca do Mês de Setembro

Fala galera, tudo bom com vocês?

O post de hoje é para apresentar a vocês todos os lançamentos do mês de Setembro da minha, da sua, da nossa querida e amada editora Intrínseca, que a cada mês me deixa mais pobre do que já sou rsrsrs. Então sem mais delongas, vamos aos lançamentos do mês.

contospeculiaresgContos Peculiares – Ransson Riggs

Sinopse – O livro dentro dos livros, Contos peculiares é a coletânea de contos e fábulas citada ao longo da série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares – o livro com as histórias que os jovens peculiares escutam sua protetora contar e recontar.

Um menino que vira gafanhoto e foge com um grupo de gansos; uma princesa com língua de cobra à procura de um príncipe com quem se casar; canibais ricos que comem braços e pernas de peculiares que têm o dom de se regenerar são alguns dos personagens dessas narrativas que há séculos povoam o imaginário dos peculiares, oferecendo não apenas valiosas lições, mas também pistas para informações secretas, como a localização exata de certas fendas temporais, por exemplo. Compilado por Millard Nullings, o menino invisível acolhido no lar da srta. Peregrine, o livro inclui surpreendentes comentários e notas, além de um desfecho alternativo para a tocante história do gigante Cuthbert, já conhecida dos leitores da série.

Inusitado, surpreendente e divertido, Contos peculiares é ao mesmo tempo um delicioso complemento e uma porta de entrada para o rico universo criado por Ransom Riggs; um verdadeiro presente para quem não resiste à magia das boas histórias.


nadamaisaperdergNada mais a perder – JoJo Moyes

Sinopse – Na juventude, Henri Lachapelle foi um cavaleiro de raro talento, entre os poucos admitidos na academia de elite do hipismo francês, o Le Cadre Noir. Contudo, reviravoltas da vida o levaram da França a Londres, onde ele agora vive em um simples conjunto habitacional. Sem nunca abandonar o amor pela antiga carreira, aos trancos e barrancos Henri ensina a neta, Sarah, a montar o cavalo Boo, na esperança de que o talento da dupla seja o passaporte para uma vida melhor e mais digna para todos. Mas um grande golpe muda mais uma vez os planos de Henri Lachapelle, e Sarah se vê entregue à própria sorte, lutando para, além de sobreviver, cuidar de Boo e manter os treinamentos.

Natasha é uma advogada especializada em representar crianças e adolescentes envolvidos com crimes ou em situação de risco. Abalada emocionalmente e em dúvidas quanto a seu futuro profissional depois de um caso terrível, Natasha ainda tem de lidar com as feridas do fim de seu casamento. Um fim, diga-se de passagem, bem inusitado, já que ela se vê forçada a morar com o charmoso futuro ex-marido enquanto esperam a venda da casa da família.

Quando Sarah cruza o caminho de Natasha, a advogada vê na menina a oportunidade de colocar a vida de volta nos trilhos e decide abrigar a adolescente sob o próprio teto. O que ela não sabe é que Sarah guarda um grande segredo que lhes trará sérias consequências.


ladraodeoxigeniogDiário de um ladrão de oxigênio – Anônimo

Sinopse – Diário de um ladrão de oxigênio é a confissão de um homem paranoico, dependente de álcool, drogas e de abusar emocionalmente de suas parceiras que um dia leva o troco – imagine que Holden Caulfield vive embriagado e Lolita é uma assistente de fotografia e que, de alguma forma, eles se encontram em Nova York: Uma Cidade em Delírio.

Com um texto direto, engraçado e extremamente realista, o narrador anônimo que divaga sobre a própria tragédia em busca de expiação fala na verdade de qualquer um de nós, de tudo o que fazemos e a que nos sujeitamos para suprir vazios que nem mesmo entendemos. Quem já que viveu um relacionamento conhece pelo menos um lado desse jogo.

Considerado um F. Scott Fitzgerald para a geração iPad, o autor, presume-se, tem origem britânica e publicou por conta própria seu livro em Amsterdã, onde morava à época. Com os pedidos das livrarias da capital holandesa aumentando cada vez mais, ele começou a levar exemplares a estabelecimentos de outras cidades, como a Shakespeare & Co, em Paris. Após se mudar para Nova York e encorajado pelo sucesso do livro na Europa, bancou uma tiragem de mais 5 mil exemplares. Logo começou a receber grandes pedidos da Amazon. Quem ele é, porém, e sobretudo quem foram suas mulheres, permanecem uma incógnita.


untitledLegado (Livro 3 da série Silo) – Hugh Howey

Sinopse – A batalha pelo Silo já foi vencida. A guerra pela humanidade só está começando. É um tempo em que, para sobreviver, os humanos precisam se manter em cidades subterrâneas, aprisionados, sem ligação com o mundo lá fora.  Esse é o universo de Silo, a série de ficção científica e fantasia escrita por Hugh Howey.

Juliette, uma operária nascida nos subterrâneos, é a heroína da trama apocalíptica. Em Legado, ela se torna prefeita do Silo 18, que está se recuperando de uma rebelião. Seu governo encontra grande resistência por causa da controversa escavação para resgatar os supostos sobreviventes do Silo 17, uma empreitada vista com desconfiança que está espalhando o medo entre os moradores do Silo 18.

Como se isso não fosse um desafio grande o bastante, Juliette também recebe transmissões de Donald, a voz que alega ser líder do Silo 1 e está disposta a ajudar – mas também é capaz de fazer ameaças horríveis. Talvez Donald não seja o monstro que Juliette vê. Quem sabe ele não é a peça-chave para a salvação de toda a espécie humana? Mas será que ainda há tempo?

No último volume da série Silo, as escolhas de Donald e Juliette podem mudar o mundo… ou extingui-lo de vez.


agranagA grana –  Cynthia D’Aprix Sweeney

Sinopse – Leo Plumb estava bêbado e drogado quando fugiu sorrateiramente da festa de casamento do primo, levando uma das garçonetes a tiracolo. No calor do momento, dirigindo para longe dali, os dois sofrem um acidente de carro com graves consequências. Para fazer com que seus problemas desaparecessem, Leo precisou usar o dinheiro de uma conta da família, um dinheiro sagrado: o pé-de-meia que garantiria o futuro dos irmãos Plumb.

Ansiosos para receberem sua parte e horrorizados ao descobrirem que a mãe permitiu que Leo torrasse aquela grana, eles marcam um encontro para deliberar quando e como o dinheiro será restituído. Melody, esposa e mãe de gêmeas adolescentes que mora num subúrbio luxuoso, tem uma hipoteca cara e duas mensalidades universitárias se aproximando no horizonte. Jack, um vendedor de antiguidades, escondeu do marido que, para sustentar seu negócio, empenhou uma das propriedades do casal. E Bea, que já foi considerada uma promessa da cena literária, não consegue mais escrever.

Reunidos novamente, como nunca estiveram, os irmãos terão que superar antigos ressentimentos e as escolhas erradas que fizeram na vida. Uma análise inteligente e afetuosa de como a expectativa desempenha um papel central em nossas vidas, A grana tem o ingrediente mais explosivo de qualquer boa briga de família: dinheiro.


untitledO paradoxo do Chimpanzé – Prof. Steve Peters

Sinopse – Por que tantas vezes sentimos que estamos nos sabotando, agimos de forma irracional ou nos deixamos levar pela emoção? E por que em geral, quando isso acontece, a sensação é de que não estamos no controle do nosso cérebro? A resposta é: porque de fato não estamos.

Embora sejamos dotados de um cérebro humano, lógico, que pondera antes de cada decisão, também temos um cérebro primitivo, animal, que age independentemente de nós, que está preocupado apenas com a nossa sobrevivência e que reage às situações sempre de maneira emocional. Esse cérebro é o Chimpanzé. Ele não é bom nem mau – é só um Chimpanzé.

Em O paradoxo do Chimpanzé o psiquiatra, consultor e professor Steve Peters apresenta um programa de gerenciamento mental que nos permite entender e gerenciar nosso cérebro emocional, de modo a tirar proveito de sua força quando ele trabalha a nosso favor e a neutralizá-lo quando não faz. Por meio de exemplos claros, diagramas e desenhos lúdicos e exercícios práticos, somos levados a conhecer o funcionamento de cada parte de nossa mente e a desenvolver as habilidades emocionais e os hábitos que permitirão alcançar uma vida mais feliz e bem-sucedida.


fasdoimpossivelgFãs do impossível – Kate Scelsa

Sinopse – Fãs do impossível conta a história de três amigos, Mira, Sebby e Jeremy, em meio aos complexos conflitos da adolescência. Mesmo sentindo-se despedaçados, sem motivos para serem amados e tentando não sucumbir à solidão, os três lutam pela vida, cada um à sua maneira.

Mira está começando em uma escola nova, depois de passar um tempo no hospital. Ela se sente insegura no novo ambiente e acha que não vai conseguir ficar longe de seu melhor amigo, Sebby, um garoto brincalhão que leva a vida com boas doses de mentira e bom humor, até que seu lado mais destrutivo vem à tona.

Jeremy está retornando à antiga escola, depois de um tempo afastado por causa de um incidente traumático que arruinou seu ano letivo. Tímido e quieto, ele deseja se aproximar de Mira e Sebby.

Juntos, contra todas as expectativas, eles vão viver o impossível.


untitledNimona – Noelle Stevenson

Sinopse – Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão.

Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo.

Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão – entre uma batalha e outra, é claro.


Então é isso pessoal, espero que vocês tenham gostado dos lançamentos por que eu realmente amei todos. Já quero todos na minha estante por que sim (Eu preciso me controlar…). Até o próximo post. Beijos.

Junior Cunha

Resultado do Sorteio Loney

Fala galera, tudo bom com vocês?

O post de hoje é super breve… passando só para anunciar a ganhador(a) do sorteio especial intrínseca Loney, que estava rolando aqui no blog. O livro sorteado foi o Loney, em uma edição super especial em capa dura❤

O sorteio foi realizado por meio do site http://www.sorteador.com.br e o numero do comentário segue a ordem de primeiros comentários até o último.

Resultado:

sorteio loney II

sorteio loney III

E a sortuda foi a participante Thaís Dória de Góes❤ Parabéns Thaís, você tem 24 horas após recebimento do e-mail de aviso do sorteio, para entrar em contato com a nossa equipe. Caso não tenhamos contato, um novo sorteio será realizado.

Obrigado a todos que participaram do nosso sorteio, e fiquem ligados que ainda esse mês teremos outro. Abraços a todos.

Junior Cunha

Resenha – A História de Nós Dois

 

Olá galera!

A resenha de hoje é do segundo romance de Dani Atkins, o primeiro já foi resenhado aqui no blog e você pode relembrar clicando Aqui. Este segundo não é continuação de Uma Curva no Tempo, são histórias completamente independentes e sem relação, espero que gostem🙂


ahistoriadenosdois_capaweb-200x300_q85_upscaleLivro: A História de Nós Dois
Autor: 
Dani Atkins
Páginas: 
351
Gênero:
Romance/Drama
Editora: 
Arqueiro
Nota: 🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse: Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada.

Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse.

Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara – a ponto de duvidar se deve se casar afinal.

Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou…

Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?


Ao sair de sua despedida de solteira, Emma sofre um acidente que causa a morte de uma de suas melhores amigas e um colapso nervoso na outra, e ela mesmo não morre por ter sido salva por um estranho que estava passando no momento.

“Eu ainda me arrastava para longe da vala, de quatro, quando as faíscas e os gases tiveram seu primeiro e fatal encontro. O carro de Caroline explodiu como se fosse uma bomba. (p. 26).”

Desde então Emma sente-se ligada a Jack (seu salvador) seria consequência de ele ter salvado sua vida? com uma mãe com Alzheimer, a morte de Amy, o casamento adiado e com a culpa consumindo Caroline desde o acidente, Emma passa por semanas conturbadas e Jack de uma forma ou de outra está sempre presente.

O acidente trouxe também uma pulga atrás da orelha de Emma, Amy antes de morrer expressou felicidade por Emma ter lhe perdoado, mas Emma não se lembra de nada que necessitasse perdão. Do que Amy estaria falando? Nesta jornada pela verdade oculta, Emma descobre que as pessoas que ama, talvez não seja quem ela pensou que fossem. Richard é o amor de sua vida, disso não há dúvidas, então de onde vem essa atração por Jack? E o mais importante: quando ela vai passar? e se não passar, sera que ela poderá abrir mão de tudo e a vida de Jack terá espaço para ela?

Tenho um carinho especial por Dani Atkins, pois foi o primeiro livro dela que eu resenhei aqui para o Blog. E eu não pude deixar de notar algumas semelhanças, pois, assim como seu primeiro livro, ela traz um acidente que muda toda a vida da personagem principal, um namoro da época da escola, amigas de infância, alguma doença com um parente próximo e um casamento iminente, além da morte de um personagem. Mas, apesar de todas as semelhanças não tive a sensação de estar relendo o primeiro livro. É uma história completamente diferente que possui a sua profundidade, suas próprias emoções e seu próprio desfecho.

Neste livro Dani alterna entre dois momentos: o momento do acidente e vários anos depois dele. No futuro Emma está se arrumando para um dia especial enquanto vai relembrando tudo o que aconteceu, e isso atiça a curiosidade do leitor. Emma esta se arrumando para o casamento? Com quem? Outro evento? Qual? com quem ele ficou? É intrigante o modo como a autora relaciona estes trechos e nos surpreende magnificamente como só ela é capaz de fazer.

 

Déborah Regina

Resenha – Enquanto Bela Dormia

contos de fadas

Oi Galera, tudo bom com vocês?

A Resenha de hoje é uma releitura de um famoso conto de fadas, conto esse que já li muitas versões, mas devo admitir que esta está entre as favoritas. Espero que gostem🙂

enquantobeladormia_capaweb-200x300_q85_upscale


Livro: Enquanto Bela Dormia
Autor: Elizabeth Blackwell
Páginas: 368
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
Nota: 🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história.

Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais.

Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original.

Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.


“Não sou o tipo de pessoa sobre quem se contam histórias. Os que têm origem humilde sofrem suas mágoas e comemoram seus triunfos sem serem notados pelos bardos e não deixam vestígios nas fábulas de sua época.” (p. 12)

Elise é a personagem coadjuvante em uma grande história, seu trabalho como criada pessoal da rainha lhe proporcionou uma visão única dos acontecimentos e é através de seu relato que acompanhamos os personagens mais centrais: um rei poderoso, uma rainha infértil, um par de tias: uma consumida pela ambição da coroa e outra por uma história de amor trágica e, no centro de tudo isso, uma criança que mesmo antes do seu nascimento já carregava as grandes expectativas de todo um reino.

“O horror do que realmente aconteceu perdeu-se, e não é de admirar. A verdade está longe de ser história de criança.” (p. 8)

enquanto.jpg

Como criada pessoal da rainha Lenore, Elise esteve presente no dia do batizado de Rosa onde Milicent, tia do rei Ranolf apareceu após ser banida e jogou uma maldição que seria motivo da insônia da rainha por todos os anos subsequentes. Todas as providências foram tomadas para proteger a princesa da morte anunciada que sua tia-avó previu tão enfaticamente, a rainha Lenore se desfaz em preocupações e noites mal dormidas, o rei Ranolf busca a guerra, e caça sua tia por todo o reino, e a princesa cresce cheia de mimos e cuidados que a enclausuram no castelo. E a margem de tudo isso há Elise e uma linha tênue que separa sua vida pessoal de sua vida como criada, para quem ama o trabalho que faz, como ela, abrir mão dele é um sacrifício que nem todos são capazes.

Uma história incrível, em um ritmo apaixonante e detalhista (talvez até demais). Longe do mundo cor de rosa dos contos de fadas, esta narrativa é de um realismo impressionante e inspirador, a autora conseguiu pegar uma história universalmente conhecida e a reescreveu de uma maneira única e incrível que nos faz até mesmo duvidar da versão da Disney que já conhecemos.

Déborah Regina

Resenha – Paixão Libertadora

Olá galera, a resenha de hoje é do livro Paixão Libertadora, segundo livro da trilogia escrita por Sophie Jackson (leia a resenha do primeiro livro aqui). Espero que gostem!!!

paixaolibertadora_capaweb-1-200x300_q85_upscale

Livro: Paixão Libertadora
Autor: Sophie Jackson
Páginas: 352
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
Nota: 🍦🍦🍦🍦

Sinopse  Max O’Hare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família.

É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado.

Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois…

Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma.


Nesta bela continuação, conhecemos melhor Max O’Hare melhor amigo de Carter, ele já era perseguido pela perda de seu pai e perder Lizzie e seu filho Christopher só o desestabilizou ainda mais. Ao finalmente se descontrolar ele aceitou ajuda de seu amigo. Internado em uma clínica de reabilitação, Max é obrigado a enfrentar seus demônios, permanecer limpo do álcool e das drogas e assim caminhar para uma vida melhor. O desafio maior se apresenta ao sair da clínica. Como sobreviver novamente no mundo fora da clínica? Como resistir às tentações, como manter seu coração intacto para não sofrer mais ainda?  Ir para casa de Carter e perceber o quanto ele está feliz em seu relacionamento com Kat não foi melhor decisão ele decide então ir visitar um amigo do seu pai no interior.

Grace Brooks encontra no condado de Preston uma chance de se reinventar, de recomeçar após o turbilhão que foi seu último relacionamento e arrumar a casa que acabou de comprar e torna-la habitável é uma ótima maneira de se manter ocupada além de trabalhar a noite no bar da cidade. Grace e Max tem seus caminhos cruzados quando a empreiteira que está arrumando a casa de Grace é de Vince, com quem Max está passando um tempo. Os dois têm seus problemas e fantasmas, problemas em relacionamentos anteriores e dificuldade de confiar no sexo oposto. Eles podem não querer amor, mas há algo que os dois precisam e que podem conseguir, dentro dos termos certos.

“- Hipoteticamente falando, se você concordasse com isso, quais seriam os seus termos, Os seus limites?

– ‘isso’ seria a gente transar?

– sim (…)

– Nada de promessas, nada de expectativas (…) Desde que fique claro que somos amigos, nada mais. Nada de relacionamento, nada de amor, nada de merda nenhuma.” (p. 135)

Grace precisar redescobrir sua sexualidade e ganhar confiança e quem melhor para ajudar nisso do que Max, o cara misterioso, perigoso e super arredio quando se fala em relacionamento? Essa relação desperta algo que eles julgavam estar adormecido há muito tempo, Grace precisa fazer Max entender que amar não é errado e nem sempre é sinônimo de sofrer, mas é muito difícil tirar o fantasma de Lizzie da mente dele.

Sophie Jackson nos traz uma história com sua assinatura, uma história com cenas quentes e picantes, mas com uma complexidade de sentimentos que vai se fundindo a história e enriquecendo-a cada vez mais. Quem a lê pela primeira vez pode achar que tudo se resume a sexo (ou talvez tenha sido só eu), mas, com o avançar da leitura percebemos nuances, o quanto um personagem precisa do outro e não só para tirar suas roupas. Neste volume dois conhecemos os fantasmas de Max que no primeiro livro era apenas o amigo babaca de Carter que não gostava da Kat, neste podemos entendê-lo, pode não justificar suas ações, mas a explicam.

Já sabemos que Sophie Jackson nos brindará com uma trilogia desses personagens o primeiro se focou em Carter e Kat, este segundo em Max e Grace além de nos brindar com o lindo casamento de Carter e Kat. E lendo acho que já podemos perceber sobre quem será o terceiro livro.

E você já leu? Gostou? Já tem uma ideia de sobre quem será o terceiro? Conta para mim e vamos ver se chegamos a mesma conclusão.

Déborah Regina

 

Sorteio especial Loney

fb_img_1469031868442.jpg

Fala galera, tudo bom com vocês?

Quem é que estava com saudades dos sorteios do Blog? ein? hahaha Enquanto eu lia Loney, algumas pessoas me pediram sorteio do livro no IG, e eu resolvi atender as preces desses cristãos necessitados por essa obra prima chamada Loney. Então, cá estou eu para anunciar o sorteio de 1 exemplar dessa obra prima.

loneygrandeLoney – Andrew Michael Hurley

Sinopse – Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.

À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera havia pouco tempo. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem.

O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.

Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.


E para participar, basta seguir as regras a baixo. Regras do sorteio:

🍦 Seguir o blog;

🍦 Seguir o nosso perfil no Instagram (@literanews) e/ou curtir a fanpage do blog no Facebook (Icebookcream);

🍦 Comentar neste post informando e-mail para contato, comentar apenas uma (01) vez, comentários repetidos automaticamente serão desclassificados.

Informações e mais regras:

🍦O período para concorrer será de 27/07/2016 até o dia 12/08/2016;

🍦 Sorteio será realizado no dia 13/08/2016 e o resultado será divulgado no mesmo dia, através de post aqui no blog, na Fanpage do Facebook e pelo Instagram;

🍦 Cada comentário será correspondente a um número, conforme ordem dos comentários, números que usaremos para sortear via sites específicos de sorteio;

🍦 O livro será enviado pela própria editora Intrínseca, então é muito importante deixar o e-mail corretamente para contato, pois será através dele que iremos obter seus dados para envio do livro;

🍦 Será sorteado um (01) exemplar do livro Loney, correspondendo a um (01) único ganhador;

🍦 Se não obtivermos respostas após 24h do e-mail de contato com o vencedor, um novo sorteio será realizado;

🍦 Participantes deverão residir em território brasileiro;

🍦 Quaisquer dúvidas poderão ser esclarecidas diretamente conosco, através de e-mail para icebookcream@gmail.com ou via mensagem (inbox) na página do Facebook.


Então é isso pessoal, que a sorte esteja sempre a seu favor… _III_

Junior Cunha

 

Resenha – Garoto 21

Fala galera, tudo bom com vocês?

A resenha de hoje é do livro Garoto 21, do autor Matthew Quick. Acho que todos já devem conhecer pelo menos 1 livro do Quick, não é mesmo? Autor de O lado bom da vida, Perdão Leonard Peacock, Quase uma Rockstar e A sorte do agora, esse autor é simplesmente sensacional, logo mais explico o por que. Vamos a resenha?

untitledLivro: Garoto 21
Autor: Matthew Quick
Páginas: 272
Gênero: Ficção
Editora: Intrínseca
Nota: 🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Repetir um movimento várias e várias vezes ajuda a clarear a mente – uma lição que Finley aprendeu muito cedo, nas quadras de basquete. Numa cidade comandada pela violência do tráfico e da máfia irlandesa, vestir a camisa 21 e dar o sangue em quadra é sua válvula de escape.

Vinte e um também é o número da camisa de Russ, um gênio do basquete. Ou pelo menos era. Recém-chegado à cidade de Bellmont depois de ter a vida virada de cabeça para baixo por uma tragédia, a última coisa que ele quer é pegar de novo numa bola.

Russ está confuso, parece negar o que lhe aconteceu e agora se autointitula um alienígena de passagem pela Terra. Finley recebe a missão de ajudá-lo a se recuperar e, para isso, precisará convencê-lo a voltar a jogar, mesmo sob o risco de perder seu lugar como estrela do time.

Contra todas as probabilidades, Russ e Finley se tornam amigos e, por mais estranho que pareça, a presença de Russ poderá transformar a vida de Finley completamente. Uma emocionante história sobre esperança, amizade e redenção, com a prosa sensível e inteligente de Matthew Quick.

13321815_10154449253560579_8846195089407342095_n


Não é o o meu primeiro contato com os universos criados pelo autor Matthew Quick, analisando aqui, é o 4° livro do autor que eu leio – o meu primeiro contato com ele foi com o livro O lado bom da vida, depois li Perdão Leonard Peacock, depois li A sorte do agora – o único livro dele que eu não li ainda, foi o Quase uma rockstar (não li não sei por que, por que eu até tenho o livro ¬¬). Geralmente o Matthew cria um universo através de algum problema em que os personagens estejam passando e tenta de alguma forma ajudar esses personagens a superar isto.  Neste livro não se é diferente.

Em garoto 21, temos Finlay, um garoto muito fechado, retraído, que mora no subúrbio de Bellmont com o pai e o avô deficiente físico. Finlay sempre foi muito calado, e isso deriva-se de um trauma que ele sofreu ainda muito pequeno, e desde então passou a ouvir mais do que se expressar. Sua unica forma de expressão é através do basquete, e também é através do basquete que ele conhece Erin, sua então namorada. Ele não nasceu sabendo jogar basquete, como se fosse um dom de Deus dado a ele, mas sim, desde pequeno ele encontrou no basquete uma forma de se expressar, e de procurar melhorar a cada ano. Lógico que ele conta com a ajuda de sua namorada, que também joga basquete.

13417547_10154485588090579_8317503045969355527_n

O ultimo ano do colégio se aproxima, e com ele o inicio da temporada de basquete, então, tecnicamente, Finlay e Erin estão mega ansiosos para o inicio do ano, já que, se eles forem bons na temporada, conseguirão facilmente uma bolsa de estudos em uma universidade renomada, devido ao seus desempenhos na temporada. Um fato curioso em meio a todo esse lance de basquete, é a segregação racial que o autor aborda no livro. Finlay é um garoto branco, que joga em um time de basquete formado por 99% de pessoas negras. Logo mais pra frente vocês vai entender também o outro lado da questão da segregação.

Como Finlay é muito querido por seu treinador, e geralmente os treinadores são como um segundo pai para seu time, o treinador pede a ajuda dele para lidar com um “problema” que surgiu, e que só em Finlay, é que o treinador pode confiar. O “problema” é que recentemente, Russ, que é neto de um casal de amigos do treinador, perdeu os pais em um acidente de carro, e desde então o garoto que antes era o astro do basquete em sua escola, não joga mais, e desde então acredita que é um ser que veio do espaço e se auto denomina de Garoto 21. A outra parte da segregação racial que mencionei mais acima é que, Russ é um garoto negro que sempre jogou em um time composto por 99% brancos.

13557773_10154536314985579_3912110181271823148_n

É bem raro ver uma amizade entre garotos brancos e negros em Bellmont. Talvez isso seja intransigente demais da minha parte, mas descobri que ser intransigente, às vezes, torna a vida mais fácil para todos. (p.41)

E é ai que o Quick como sempre entra para discutir esses temas relevantes na nossa sociedade e que sempre geram um série de questionamentos. Outro fato abordado pelo autor no livro é a questão da classe social. Russ é herdeiro de uma boa grana, ser posto a estudar em uma escola pública, com pessoas “inferiores” a sua classe social que ele está acostumado a se envolver. A partir de todas essas questões, Matthew Quick elabora uma narrativa forte e intensa, que como todos os livros dele, se torna uma leitura simples, leve e rápida.

13321812_10154459183625579_4978447119799307519_n


Eu como sempre, rasgo elogios ao Matthew Quick, por que é simplesmente impossível se decepcionar com as histórias criadas por ele. Todo livro dele é a mesma sensação de que algo irá te surpreender no final, e como sempre, isso de fato acontece. A forma como ele constrói todo o enredo, e como se dá o desfecho da narrativa já é meio que sua marca registrada de construir suas histórias, e com esse livro não podia ser diferente. Só posso dizer que amei, e mais que recomendo.

Junior Cunha

Resenha – As Provações de Apolo

Fala galera, tudo bom com vocês?

CAPA_OraculoOculto_WEBLivro: As provações de Apolo
Autor: Rick Riordan
Páginas: 320
Gênero: Ficção
Editora: Intrínseca
Nota: 🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Como você pune um deus imortal? Transformando-o em humano, claro! Depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, Apolo é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York. Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Sem seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus.

O problema é que isso não vai ser tão fácil. Apolo tem inimigos para todos os gostos: deuses, monstros e até mortais. Com a ajuda de Meg McCaffrey, uma semideusa sem-teto e maltrapilha, e Percy Jackson, ele chega ao Acampamento Meio-Sangue em busca de ajuda, mas acaba se deparando com ainda mais problemas. Vários semideuses estão desaparecidos e o Oráculo de Delfos, a fonte de profecias, está na mais completa escuridão.


Para quem leu a saga Heróis do Olimpo vimos que o deus Apolo foi responsabilizado por umas coisinhas básicas que para variar quase destruíram o mundo. Se ele de fato deve levar a culpa é algo que alguns (leitores e deuses) duvidam, mas quem vai questionar Zeus não é? Zeus acha que ele é culpado então deve ser punido e como se pune um deus todo poderoso? Transforma-o em mortal.

13680886_10154567557810579_9162199688522963316_n

Apolo foi jogado na terra sem poderes, dignidade (porque ele tinha que cair em uma lixeira?) e sua bela aparência. Ele agora é Lester Papadopoulos um adolescente com espinhas e sem barriga tanquinho, ah e claro sem poderes. Apolo toma uma bela surra de dois meninos de rua é salvo por Meg, uma semideusa de origem desconhecida. Apolo já foi mortal outras duas vezes, logo ele sabe o que fazer:

“Normalmente, Zeus exige que eu trabalhe como escravo para algum semideus importante. (…) Faço as tarefas que meu novo mestre exigir por alguns anos. Desde que eu me comporte, recebo permissão para voltar ao Olimpo. (p. 27)”

Meg convoca os serviços de Apolo e juntos vão a busca de alguém para situar Apolo no que está acontecendo. Quem será? Quem resolve os problemas dos deuses? Tcharam ele mesmo: Percy Jackson! Mas, desta vez Percy não poderá ser o herói da história, mas promete leva-los ao acampamento meio-sangue:

“Perdi boa parte do meu segundo ano na escola por causa da guerra com Gaia. Passei o outono inteiro tentando recuperar as matérias atrasadas. Se eu quiser ir para a faculdade com Annabeth no outono que vem, tenho que ficar longe de problemas e conseguir meu diploma. (p. 43)”.

Apolo está com uma falha de memória, aparentemente ele passou seis meses em órbita e sua mente está um pouco confusa, seu arqui-inimigo a poderosa Piton está de volta e retomou o oráculo de Delfos, sem oráculo, não há profecias, sem profecias não há missões para semideuses, inclusive alguma missão para salvar o oráculo. Apolo terá muito o que fazer, sumiços aconteceram no acampamento, as comunicações estão falhas desde telefone às famosas mensagens de íris, o que está acontecendo? E qual o papel de Apolo nisso tudo?

13620287_10154543309485579_4284374352600846226_n

Rick Riordan nos traz o mundo dos semideuses novamente, com uma narrativa do ponto de vista de Apolo, podemos perceber o quanto a divindade sobe à cabeça de uma pessoa. Apolo é convencido, quer ser adorado e amado sem nem levantar um dedo, e nesta jornada podemos perceber o quanto a convivência com semideuses incluindo seus filhos pode mudar seu modo de pensar, ou pelo menos parte dele. Descobrimos o que aconteceu após Sangue do Olimpo com alguns semideuses que já conhecemos e passamos a ter contatos com outros.

As Provações de Apolo vem com a linguagem simples e irreverente que são características do nosso querido tio Rick Riordan, com ação, com aventura, com risadas e reflexões. Sou suspeita para falar, mas super recomendo a leitura, ainda mais para quem é fã da história de Percy Jackson e se encanta com o mundo criado pelo autor que insere mitologia grega nos dias atuais.

Déborah Regina