Resenha – O Martelo de Thor

Olá galera, Saudades? sei que eu estava. Como mencionei nas postagens da semana especial Rick Riordan eu ainda não tinha lido a série Magnus Chase, mas, acabei de corrigir isso (aaaaêêêê) e é claro trouxe para vocês a resenha do segundo volume da série, já que o primeiro já foi resenhado aqui no blog e você pode ler clicando Aqui. Vamos lá?

CAPA_MarteloDeThor_GLivro: O Martelo de Thor
Autor: Rick Riordan
Páginas: 400
Gênero: Ficção
Editora: Intrínseca
Nota: 🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse: Seis semanas se passaram desde que Magnus Chase viajou até a ilha Lyngvi para tentar impedir o Ragnarök, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Mas ele deveria imaginar que não seria assim por muito tempo…

Magnus vai descobrir que casamentos arranjados ainda não saíram de moda: para recuperar o martelo de Thor, que está nas mãos dos inimigos,Loki, o deus da trapaça, propõe uma aliança. Na verdade, um casamento.

Sem o martelo, Thor não consegue proteger Midgard — o mundo humano —, e os inimigos estão ficando cada vez mais ousados. O Ragnarök vai começar. Os nove mundos vão queimar. Agora, Magnus,Sam, Hearth e Blitz têm apenas cinco dias para encontrar a arma perdida do deus do trovão, evitar uma invasão e impedir um casamento.


Neste segundo volume reencontramos o grupo de heróis, talvez mais heterogêneos de todas as histórias que você já leu, ou pelo menos histórias que não foram escritas por Rick Riordan (Rick Riordan sendo Rick Riordan não é gente?): Magnus Chase – Filho de Frey, dono da Espada do Verão (que se chama Jacques – Longa história); Samirah (Sam) – A semideusa árabe/Valquíria que você respeita querendo ou não; Hearthtone (Hearth) – O elfo surdo/mago das runas/amigo leal que eu amo, e é claro Blitzen (Blitz) – O Anão / Elfo negro (svartalfar) com o senso de moda mais afinado de todos os nove mundos.

Ainda está desaparecido? – Perguntei (…)

Bem, não ‘oficialmente’, claro. Se os gigantes soubessem que Thor está sem o você-sabe-o-quê, eles invadiriam mundos mortais, destruiriam tudo e me deixariam muito deprimido. Mas, extraoficialmente… sim. Estamos procurando há meses e nada. Os inimigos de Thor estão ficando abusados. Eles sentem a fraqueza. (pág. 16)

Quem leu o primeiro volume percebeu que Thor (bem diferente daquele retratado nos filmes da Marvel, diga-se de passagem) conseguiu perder seu martelo e Loki (que cara bonzinho não?) para recuperar o martelo propôs uma aliança: O martelo em troca da mão de Samirah em casamento (alguém ai acredita realmente que Loki está com boas intenções?). Assim que os demais gigantes descobrirem que Thor está sem sua principal arma, marcharão com sede de sangue para Midgard (que por sinal é o NOSSO mundo) e não terá ninguém para impedi-los. Em uma missão louca para salvar Midgard, os outros mundos e a vida pessoal de Samirah (Já que ela já está noiva de um humano), Magnus, Sam, Blitz e Hearth partem em mais uma aventura cheia de altos e baixos com um prazo apertado.

Nesta aventura matamos saudades do humor sarcástico de Magnus, e a raiva homicida de alguns personagens, nos deliciamos com as inúmeras referências a séries e artistas de nosso mundo (Doctor who, House, Jessica Jones, Game of Thrones, etc). Conhecemos um pouco mais Jacques, a espada, que vamos combinar? Ele é incrível 😉 e damos de cara com mais uma cria de Loki, quem diria, Samirah tem parentes por parte de pai, Alex Fierro é uma pessoa de gênero fluído que sendo descendente de Loki, possui a capacidade de metamorfose.

“— Essa é a ironia. — Ela pegou um abridor de cartas e girou na luz colorida. — Posso mudar minha aparência para o que ou quem eu quiser. Mas meu gênero? Não. Não posso mudar por vontade própria. É realmente fluido, no sentido de que eu não o controlo. Na maior parte do tempo eu me identifico como alguém do sexo feminino, mas às vezes tenho dias muito masculinos. E não me pergunte como sei o que sou em que dia.” (Pág. 238)

Eu, particularmente, achei muito difícil não amar Alex, seu modo agressivo, pensamento rápido, humor sarcástico, estilo de luta e uma vulnerabilidade escondida são simplesmente incríveis, tornando o nosso grupo principal de heróis mais heterogêneo ainda.

Convido a todos a mergulhar de cabeça nessa aventura criada por Rick Riordan no universo Nórdico, onde mais uma vez ele mostra seu talento em escrever e envolver os leitores em suas histórias, os fazendo refletir sobre a vida, família, amigos, e é claro se divertindo muito. A história possui um ritmo agradável, leve, com capítulos curtos e nomes bem resumidos e engraçados como por exemplo: “Devo ficar nervoso porque nossa piloto está rezando?/ Além do Arco-íris tem coisas esquistas acontecendo/ Você fica dizendo a palavra ‘ajuda’. Acho que ela não quer dizer o que acha que quer dizer” dentre todos os outros é claro.

Magnus está de certa forma ainda se descobrindo, apesar de estar morto, ele tem muitas preocupações e precisa enfrentar vários perigos, é tudo muito estranho e confuso, até o ponto que passa a ser normal as bizarrices acontecerem na sua frente. O que mais me chama atenção em Magnus é ele ser filho de um Vanir, ou seja, um deus da natureza, o que significa um deus menor. Por ser o protagonista e narrador da história poderíamos esperar um filho de Odin ou de Thor, mas não, e isso é inovador de certa forma. Outra coisa que me chamou atenção é o grupo como um todo, cada um com suas diferenças: Samirah tentando manter uma vida dupla, Blitz com seu ofício não muito reconhecido pelos anões, Hearth com uma história familiar bem complicada e um pai insuportável, Alex com seu gênero fluido, todos tem seus próprios problemas e todos abrem mão deles em certos momentos em nome da amizade e de salvar o mundo é claro.

Gostei da forma como Rick Riordan traz mais uma vez questões sociais para as leituras juvenis, em outra de suas sagas já nos deparamos com personagens homossexuais o que, para muitos, ainda é tabu, em Magnus Chase ele traz personagens muçulmanos apesar de trabalhar com mitologia nórdica; Personagens surdos que se comunicam através da língua de sinais; Personagens que não se encaixam direito com o que nasceram para ser, e se um anão não quiser construir coisas, mas costurar roupas? E é claro, como já mencionado Alex, que hora é menino e hora é menina, como rotular? como tratar? e mesmo assim nada disso importa, porque o autor trata todos os personagens do mesmo modo, importantes para a construção da narrativa e seu desenrolar.

OBS1: Annabeth dar o ar de sua graça neste volume também, já que ela cultiva uma amizade com o primo (A-D-O-R-E-I)

OBS2: Se você é daqueles que gostam de ler a última linha de um livro antes de começar a lê-lo você vai ter uma surpresa (Calma, não vai estragar a história, mas é uma surpresa);

Déborah Regina

Resenha – Biblioteca de Almas

Fala galera, tudo bom com vocês?

Cá estou eu de novo, novamente, mais uma vez… rsrs Para trazer para vocês a resenha do livro Biblioteca das almas, terceiro e último livro da série de livros do Ransom Riggs – O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Sim, infelizmente a série chega ao fim, depois de Três obras primas e um quarto livro a parte, de contos ❤ Não precisa nem falar no arraso que foi essas edições da editora intrínseca né? – Então vamos a resenha.

untitledLivro: Biblioteca de Almas
Autor: Ransom Riggs
Páginas:
416
Gênero:
Ficção
Editora: 
Intrínseca
Nota: 
🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Biblioteca de Almas é o último volume da celebrada trilogia iniciada com O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares. Neste terceiro livro, depois de sofrer com a morte do avô, conhecer crianças com habilidades peculiares em uma fenda temporal e partir pelo mar em uma busca desesperada para curar a srta. Peregrine, Jacob vai finalmente enfrentar a inevitável conclusão dessa turbulenta jornada. Jacob descobre uma poderosa habilidade e não demora a explorá-la para resgatar os amigos peculiares e as ymbrynes da fortaleza dos acólitos. Junto com ele vai Emma Bloom, uma menina capaz de produzir fogo com as mãos, e Addison MacHenry, um cão com faro especial para encontrar crianças perdidas. Partindo da Londres dos dias atuais, o grupo vai percorrer as ruelas labirínticas do chamado Recanto do Demônio, uma complexa fenda temporal que abriga todo tipo de vícios e perversões. É ali que o destino de peculiares de toda parte será decidido de uma vez por todas. Tal como os volumes anteriores da série, Biblioteca de Almas une fantasia, aventura e sombrias fotografias de época para criar uma experiência de leitura única.


Nesse mundo mágico criado por Ransom Riggs, temos a historia de Jacob, que no primeiro livro é apresentado ao mundo dos peculiares, no segundo ele descobre que também é um peculiar e está fugindo de vários ataques aos peculiares e ao mesmo tempo ajudando a Srta. Peregrine… E como de costume, a historia segue em continuação. Ao final do segundo livro, muitas crianças acabam se perdendo, devido aos ataques sofridos, muitos são levados pelos acólitos. Esse terceiro e ultimo livro, Jacob, Emma e Addison, o cão falante, estão a procura dos outros peculiares que acabaram sendo levados pelos acólitos. Acontece que eles estão encurralados por um etéreo e provavelmente será o fim deles. No momento de pânico, Jacob começa a se comunicar com o etéreo, em uma língua estranha, levando-o a obedecer suas ordens. E é assim que eles conseguem se salvar desse ataque.

Addison, o cão falante, e sua habilidade de farejar peculiares, acaba ajudando e muito Jacob e Emma, guiando-os até o rastro das Ymbrines e peculiares. Só que eles acabam recendo a informação de que seus amigos estão em um lugar horrível, chamado Recanto do demônio.

Ao entrarem nessa fenda em busca do Recanto do demônio, Jacob descobre que esse lugar pode ser mais perigoso do que se imaginava ser. Muitas ilegalidades acontecem naquele local, como venda de peculiares, competições de etéreos… um mercado clandestino mesmo. E nesse local, eles conhecem Bentham, um homem misterioso, que fala que sabe onde as ymbrynes  e peculiares estão, e que pode ajudar eles a chegarem até eles. Afirma ainda que eles estão sob o poder de Caul, um homem que procura a Biblioteca de Almas, um verdadeiro arquivo contendo almas de antigos peculiares, para que possa apoderar-se delas. Eles precisariam das ymbrynes para isso.

14925315_10154934822845579_5797899570796444351_n

Jacob não vê outra alternativa a não ser seguir nessa aventura e tentar a todo custo resgatar seus amigos peculiares.

15621991_10155103468795579_122499180172331048_n


A narrativa é riquíssima em detalhes, muita ação do inicio ao fim. Como tinha mencionado nas resenhas anteriores, não tem como você não começar a ler e não querer parar até terminar por completo. O autor nos prende de tal forma, que só você lendo pra entender o que eu estou falando rsrs.

Junior Cunha

Resenha – Cidade dos Etéreos

Fala galera, tudo bom com vocês?

Como prometido no ultimo post, teríamos a continuidade de resenhas da série de livros do Ransom Riggs. O primeiro foi O orfanato da Srta. Peregrine para criança peculiares, e agora, dando continuidade, temos a resenha do livro dois, Cidade dos Etéreos. Então sem muita delongas, vamos a resenha.

71-f7myulLivro: Cidade dos Etéreos
Autor: Ransom Riggs
Páginas:
384
Gênero:
Ficção
Editora: 
Intrínseca
Nota: 
🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Cidade dos etéreos dá sequência ao celebrado O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, em que o jovem Jacob Portman, para descobrir a verdade sobre a morte do avô, segue pistas que o levam a um antigo lar para crianças em uma ilha galesa. O orfanato abriga crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine. Neste segundo livro, o grupo de peculiares precisa deter um exército de monstros terríveis, e a srta. Peregrine, única pessoa que pode ajudá-los, está presa no corpo de uma ave. Jacob e seus novos amigos partem rumo a Londres, cidade onde os peculiares se concentram. Eles têm a esperança de, lá, encontrar uma cura para a amada srta. Peregrine, mas, na cidade devastada pela guerra, surpresas ameaçadoras estão à espreita em cada esquina. E, além de levar as crianças a um lugar seguro, Jacob terá que tomar uma decisão importante quanto a seu amor por Emma, uma das peculiares. Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época — tudo isso se combina para fazer de Cidade dos etéreos uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante.


A narrativa desse segundo livro começa exatamente onde terminou o primeiro. Jacob e os peculiares em busca de terra segura e firme. Fugindo de todo o caos que se instaurou tanto no mundo comum, quanto no mundo peculiar, além de proteger sua Ymbrine – Srta. Peregrine, que está aprisionada em forma de pássaro e não consegue voltar a forma humana.

Após o barco em que Jacob e os peculiares viajavam, virar, deixando-os apenas com um baú onde continha alguns contos peculiares, eles decidem abrir e ler esses contos, e descobrem que estão justamente em uma das florestas retratadas no conto em que estavam lendo, e que ali existe uma fenda temporal onde servirá de apoio e proteção, além de levá-los a outra Ymbrine, para que possa ajudar a Srta. Peregrine, que até então está presa em forma de pássaro, impedida de voltar a sua forma humana.

Em sua aventura, Jacob acaba por descobrir que também é peculiar, e que seu dom é sentir a presença e enxergar etéreos, criaturas que caçam peculiares, para lhes roubar a alma. Nisso, Jacob e os peculiares estão de novo a mercê da sorte, e suscetíveis aos perigos que os cercam no mundo peculiar, e fora da fenda de proteção da Srta. Peregrine.

titulo_cidadeetereos_3


Então é isso pessoal, a resenha é breve e curta devido aos spoilers que podemos soltar aqui, caso falemos mais algo rsrs e pra evitar estragar a leitura ou futura leitura dessa série por vocês, acho melhor poupá-los. Espero que tenham gostado. Deixa nos comentários se pretende ler ou não essa série. Beijos e até a próxima.

Junior Cunha

Resenha O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

Fala galera, tudo bom com vocês?

A resenha de hoje é de um livro um pouquinho antigo, que até já virou adaptação para as telas de cinema, e que faz parte de uma série bastante comentada e aclamada pelo público literário, estamos falando do livro O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

o-orfanato-da-srta-peregrine-para-criancas-peculiares-resenha-ransom-riggs-mlnetLivro: O orfanato da Srta. peregrine para crianças peculiares
Autor: Ransom Riggs
Páginas:
336
Gênero:
Ficção
Editora: 
Leya
Nota: 
🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – Milhões de cópias vendidas em todo o mundo! Traduzido para mais de 40 idiomas! Eleito uma das 100 obras mais importantes da literatura jovem de todos os tempos Tudo está à espera para ser descoberto em “O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que possa parecer – ainda podem estar vivas. “Mesmo sem as fotos, esta seria uma história emocionante, mas as imagens dão um irresistível toque de mistério. A narração em primeira pessoa é autêntica, engraçada e comovente. Estou ansioso para o próximo volume da série!” RICK RIORDAN, autor da série Percy Jackson e Os Olimpianos. “Um romance tenso, comovente e maravilhosamente estranho. As fotos e o texto funcionam brilhantemente juntos para criar uma história inesquecível.” JOHN GREEN, autor de A culpa é das estrelas. “Vocês têm certeza de que não fui eu quem escreveu esse livro? Parece algo que eu teria feito…” TIM BURTON


A narrativa do livro é toda focada sobre as histórias contadas da Jacob Portman, um garoto que cresceu fascinado pelas historias contadas pelo seu avó, Abe Portman, judeu que, durante a Segunda Guerra Mundial, precisou deixar a família para trás na Polônia e embarcar para um orfanato em uma ilha no País de Gales. As historias contadas a Jacob pelo seu avó, envolvia um mix de criaturas com poderes e superpoderes, que ao serem ouvidas, faziam com que as pessoas acreditassem que tudo era apenas fruto da imaginação do avó.

Muitos chegavam a duvidar da sanidade mental do senhor Abe, mesmo o mesmo tendo fotografias que provassem a veracidade dos fatos… Até que um dia, o pobre Sr. vem a falecer de forma misteriosa, o que deixa Jacob intrigado, e o mesmo começa a questionar a verdade por trás das historias contadas pelo seu avó.

Então que, através de todas as historias ouvidas, Jacob resolve embarcar para o país de Gales, em busca da verdadeira historia do seu avó. Eis que ele se depara com um orfanato em ruínas e sem sobrevivente situado no lado mais distante da ilha, onde até mesmo os moradores não ousam chegar perto. o grande questionamento que se fica é, será que Jacob vai se deixar pelo medo do desconhecido e nãos buscar respostas de fato para tudo que vem lhe atormentado a anos? Isso, vocês só saberão lendo…

“Eu tinha acabado de aceitar que minha vida seria apenas comum quando coisas extraordinárias começaram a acontecer comigo. A primeira delas foi um choque terrível e, assim como qualquer coisa que muda você para sempre, dividiu minha vida em duas partes. Antes e depois.”

O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares é um livro intenso, mágico e que te prende do inicio ao fim. Um livro que vai fazer você começar a ler e não largar mais. A história é rica de detalhes, em uma edição interessantíssima

Então é isso pessoal, espero que vocês tenham gostado da resenha, espero que deem uma chance a essa série que é maravilhosa.

O livro já foi adaptado as telas do cinema, pelo nosso querido e admirado Diretor Tim Burton ❤ Com elenco de Eva Green, Asa Butterfield e Samuel L. Jackson ❤

o-lar-das-criancas-peculiares-ganha-data-e-trailer-mlnet


Obs: Estou sem celular com câmera de boa qualidade no momento, por conta disso, as imagens anexadas a esta resenha e nas resenhas futuras, serão advindas diretamente da Fanpage ou Blog das editoras. Agradeço a compreensão de todos. Logo estarei com um celular novo e de boa qualidade.

Junior Cunha

Semana Rick Riordan – Relação com o autor

Fala galera tudo bom com vocês?

Hoje é o último post da semana especial Rick Riordan (aaaaaaaaahhhhhh – lamento profundo), eu sei, triste né? hoje vou aprofundar mais o porque eu gosto muito mesmo de Rick Riordan, no primeiro post dessa semana já falei um pouco sobre isso, se você não leu clique aqui para ler.

ce9fa9006722d11a83ed4dd6da6e9f18Hoje tenho 22 anos, comecei a ler Rick Riordan quando tinha uns 17 anos, ou seja, faz pouquíssimo tempo (rsrsrs), eu comecei a ler por influência da minha família e desde pequena ler é o meu principal hobby, e acho bacana falar disso porque as pessoas sabem que eu leio bastante e por conta disso visualizam uma imagem minha intelectual (usar óculos não ajuda no estereótipo), nada poderia estar mais longe da verdade. Eu leio por hobby, por diversão, por conta disso leio romances, fantasias, aventura, etc. Não leio biografias e as apostilas da faculdade requerem muita paciência de mim. Leio para me distrair, para fugir da realidade, para relaxar, para rir, me emocionar, me preocupar com os problemas fictícios de personagens. Os livros do Rick Riordan me apresentam essa fuga, esse relaxamento.

Comecei pelo início. A saga Percy Jackson e os Olimpianos, me encantei com a saga, um garoto de 12 anos descobre que é filho de um deus grego e que toda a mitologia grega está viva e a sua volta, não tinha como não amar, gosto bastante de mitologia grega e histórias infantojuvenis logo, era questão de tempo eu me interessar pelo trabalho do Rick Riordan. Acredito que ele criou muito bem o seu mundo, o estruturou adequadamente e é uma perfeita história juvenil, com o mundo correndo riscos, pessoas comuns, romance, primeiro amor, pessoas com habilidades especiais. etc. gosto de pensar que algo mágico está por aí.

tumblr_nw8i8qc51b1qbaew9o1_500Em Heróis do Olimpo temos ,mais ação, o mundo ainda corre riscos, mas não está nas costas de só um, mas de sete oficialmente, mas nós sabemos  que por trás desses sete tem todo uma história e pessoas que lhe são importantes e que lhe dão força para seguir em frente e lutar. gosto mais dessa saga por ter mais personagens, personalidades diversificadas, adolescentes quase adultos que precisam enfrentar seus próprios medos além dos externos que ameaçam o mundo, a insegurança, indecisão, desconfiança, ciúmes, orgulho, medo, tudo isso e muito mais, podem e vão atrapalhar algumas coisas. Além de que nessa série Rick Riordan traz mais diversidade e personalidade aos personagens, a Piper sendo descendente de Cherokee, Léo com origem espanhola, com algumas palavras em espanhol que o pessoal dos EUA devem achar difícil, mas nó lemos e entendemos sem precisar de google tradutor, e a claro o que eu mais gostei do fim da série: o personagem homossexual, personagens estes que recheiam as histórias mitológicas e do mundo antigo e que o autor resolveu não ignorar e eu o parabenizo por isso.

07d1d8de9ef796a3c4df2be0df765e66As Crônicas do Kane traz a assinatura de Rick Riordan e é incrível, porque ele a escreveu em formato de transcrição de um fita, e entre parênteses acompanhamos piadas e briguinhas entre os irmãos Sadie e Carter o que dá leveza a leitura, afinal quem nunca brigou com um irmão ou amigo? é hilário, me divertir muito lendo, me apaixonei por alguns personagens (quem nunca?), esta é a série que eu menos li do Rick Riordan e pretendo corrigir isto nessas férias, mas só com a primeiro leitura na cabeça. eu gostei do modo e como ele trabalhou a mitologia, todo o simbolismo egípcio, os hieróglifos e tudo mais, não fui pesquisar para saber se os hieróglifos estavam certos nem nada disso, mas me diverti bastante, me interessei pela mitologia egípcia tanto que já comecei a ler outra saga que trata dela também, só que de outro autor.

Recomendo Rick Riordan para quem gosta de ler, se divertir e aprender algumas coisas novas, adorei As Provações de Apolo e pretendo ler Magnus Chase o quanto antes. Não sou fã daquelas que compram posters e pregam na parede do quarto, mas admiro o trabalho e busco sempre ler e me manter atualizada, nada melhor do que conversar sabendo sobre o que está falando.

Então é isso pessoal. esperam que tenham gostado da Semana Especial Rick Riordan. E vocês? gostam de Rick Riordan? sim, não, porquê conta ai para a gente.

Até breve

Déborah Regina

Semana Especial Rick Riordan – Mitologias

Fala galera tudo bem com vocês?

Vamos dar continuidade a nossa semana Rick Riordan? hoje vou falar um pouco sobre as mitologias que estão no plano de fundo e espinha dorsal das suas histórias. Vou falar mais da Greco-romana e da Egípcia visto que ainda não li Magnus Chase e não sei muito da nórdica (snif, snif). Rick Riordan com formação em Inglês e História foi espremido por seu filho para contar todas as histórias sobre mitologia grega que conhecia e enfim quando estas se esgotaram, começou a inventar histórias que envolviam um adolescente com dislexia e deficit de atenção (dos quais seu filho tinha sido diagnosticado) vivendo a mitologia grega nos tempos atuais. Rick Riordan foi convencido pelo filho a publicar as histórias e assim seremos eternamente gratos ao Haley (rsrsrsrsrs).

Mitologia Greco-Romana

Mitologia Grega foi a primeira sobre a qual o autor escreveu, Percy Jackson foi inspirado em seu filho Haley que tinha Deficit de Atenção, Hiperatividade e Dislexia, Rick Riordan transformou essas características de seu filho em características fundamentais de semideuses, pessoas que tem como pai/mãe um(a) deus(a) grega e um mortal. A dislexia sendo que o cérebro semideus é programado para o grego antigo e o deficit de atenção e hiperatividade sendo de muito utilidade em uma luta, sendo a diferença entre a vida e a morte.

A civilização grega teve e tem muito impacto na história da humanidade, ainda hoje considerada o berço da civilização, uma civilização tão poderosa não poderia morrer tão facilmente, logo, nas histórias de Rick Riordan a civilização grega apenas mudou de lugar de acordo a história, passando por roma, onde os deuses tiveram seus aspectos gregos alterados com a cultura romana tornando-se mais agressivos, focados em guerras, estratégias e em ganhar. Atualmente a civilização grega está presente nos Estados Unidos da América, o país com maior influência incontestavelmente, o monte Olimpo se localiza agora no alto do Empire state Building e vários pontos conhecidos o autor coloca uma relação com a mitologia grega.

Os deuses fazendo jus a mitologia, são poderosos e possuem características humanas muito presentes em sua personalidade, ciúmes, raiva, amor e sobretudo orgulho. Os deuses sempre precisam dos semideuses para resolverem seus problemas e lidarem com seus inimigos, além de não serem muito fraternais com os semideuses, afinal quando se vive para sempre é difícil dar atenção a pessoas que vivem no máximo 90 e poucos anos. A mitologia grega foi um pouco modificada com sua passagem por roma e quando passou para a América essa parte deles não foram abandonadas foram incorporadas.

Mitologia Egípcia

Em As Crônicas dos Kane, Rick Riordan demonstra mais uma vez sua arte da escrita ao relacionar mitologia egípcia com os dias atuais e ainda concomitantes as grega e romanas. Com a mitologia egípcia Rick não explora os deuses enquanto familiares dos mortais, eles não são os pais dos Kane, eles incorporam neles, os possuem, compartilham o corpo e a mente deles, sendo de grande ajuda em uma batalha podendo encarnar em avatares gigantes, comumente dos animais símbolos desses deuses. Na mitologia egípcia há várias versões da história da família principal, quem é irmão de quem ou cônjuge depende da versão. Riordan escolheu uma versão onde há casais, dando assim mais emoção a história, amor e ódio que andam bem relacionados dando uma boa trama a história.

Antigos inimigos e batalhas são reencarnadas e a história mais uma vez se repete. Rick Riordan nos apresenta personagens conhecidos e outros nem tanto assim, valoriza a mitologia egípcia com a presença constante de hieroglifos que era a principal escrita da época, ritos funerários, principais histórias e características.A mitologia Egípcia ao contrário da grega está realmente espalhada por todo lugar, exceto lugares onde há a mitologia grega é forte, há os Nomos considerados QG’s em várias partes do mundo que se propõem a orientar pessoas que tenham afinidades com a mitologia e pretendem seguir o caminho de determinado deus, aprender, saber, ensinar e praticar.

Rick Riordan utiliza mitologias em suas histórias o que foi uma grande sacada visto que une amor, ódio, aventura, ação, adolescentes, magia, misticidade, mundo atual e assim atrair a grande massa adolescente para suas histórias e até mesmo o mundo adulto, as mitologias são muito difundidas e diluídas no mundo atual, em filmes, desenhos e livros como: A Múmia, Os Vingadores, Thor, Hércules, Xena a princesa guerreira, Cavaleiros do Zodíaco etc. Em Magnus Chase Rick Riordan trabalha com a mitologia Nórdica onde declarou em entrevista que foi a primeira a ter contato por influência a das histórias de Tolkien que ele amou, e por conta disso o recomendaram a mitologia nórdica, o mundo antigo pelo qual se encantou primeiro. Eu particularmente sou apaixonada incondicionalmente pela mitologia Grega.

Bom galera é isso ai, espero que estejam curtindo a semana especial Rick Riordan, pena que tá acabando 😥 vocês tem sugestão de alguma semana especial de autor, livro, saga? comenta ai para a gente saber. Vocês tem mais afinidade com qual mitologia?

Déborah Regina

Semana Especial Rick Riordan -Preferências

Fala Galera Tudo bom com vocês?

Vamos continuar a Semana Especial Rick Riordan? espero que estejam gostando tanto quando eu 🙂 Hoje vou falar das minhas preferências resumir o que mais gosto nos livros do Rick Riordan.

Série Preferida

Gosto muito da saga Heróis do Olimpo, pois,  logo após ler a saga Olimpianos a Heróis do olimpo tem uma pegada diferente, já começa com o primeiro livro O Herói Perdido que não é Percy a questão central, claro, ele existe, sua história é pano de fundo, ele está desaparecido, Annabeth está louca atrás dele, mas no plano central temos Jason e sua amnésia, Piper e sua ascendência Cherokee e Leo Valdez com sua hiperatividade e bom humor.

É refrescante (não achei palavra melhor) ter personagens novos e tudo narrado por eles, os capítulos se alternam entre Jason, Piper, Leo, Percy, Annabeth, Frank, Hazel e até mesmo Reyna em certo ponto, conhecemos cada um deles, seus segredos, sonhos e ambições, é realmente um ar novo. Não me julguem severamente, amo o Percy ele é e sempre será Percy, mas acho que foi uma ótima sacada do Rick Riordan botar cada personagem para narrar uma parte da história e assim nos permitir conhecê-los profundamente, não só com o primeiro livro, mas na saga inteira. Não sou escritora, mas acredito que deve ter sido uma experiência incrível para o Rick poder explorar seus personagens desta forma, deixando-os falar si mesmo e não apenas por impressões de outros.

Personagens Preferidos

Ah, como pedir uma mãe para escolher seu filho favorito? (suspiro) Mas, Déborah você não é a mãe deles, você nem os escreveu! Ok, vocês tinham que acabar com o meu drama né? vamos lá. Vamos deixar uma coisa clara, Percy Jackson é Percy Jackson, contra fatos não há argumentos. Amo o Percy, mas ele não é o topo da minha lista, nem vou fazer uma lista por ordem de importância, vou só citar de acordo com o que vem na mente sem me prender as séries, ordem alfabética ou sei lá mais o quê. Peguei umas Fã arts lindas na internet, as que casam com o que eu imagino claro.
tumblr_static_1e18mvhjr15ws8wskoog8s440Nico di Angelo (série Percy Jackson e afins) – 
Sou só eu que amo o Nico? (Claro, sou a diferentona, mentira, sei que ele tem um baita fã clube) Nico di Angelo é jovem, praticamente uma criança quando aparece, não sabe quem é seus pais, só pode confiar e se apoiar em Bianca sua irmã, mas talvez Bianca não queira ser a irmã mais velha para sempre. Nico sofre e muito, é antissocial, nutria um amor não correspondido, por conta de seu pai é visto como um pária, ou talvez ele que se considera desprezado, afinal quando se passa mais tempo com os mortos, as relações sociais com os vivos tendem a ser desgastantes e confusas. Gostei do rumo que a vida do Nico tomou nos últimos livros, me encantei ainda mais por ele e estarei aqui sempre torcendo por ele.

anubis___day_30_by_ravenmoonlace-d59c5p2Anúbis (Crônica dos Kane) – Já que estamos na vibe dos personagens “sombrios” eu não podia não amar Anúbis ❤ homens brancos com cabelos negros têm um charme a parte para mim e o visual meio rockeiro, motoqueiro, encrenqueiro simplesmente I-N-C-R-Í-V-E-L! Jeans preto, camiseta rasgada, coturnos e jaqueta de couro preta como não pirar? Anúbis está associado a morte, mas nem por isso ele é o vilão, ele é doce, inteligente e simplesmente de tirar o fôlego, Anúbis é misterioso e com certeza um dos meus personagens favoritos das Crônicas dos Kane. O final dele? amei, nem eu teria pensado naquilo e olha que sou bem fantasiosa.

Leo_4.pngLeo Valdez (Heróis do Olimpo) – Saindo dos personagens “Obscuros” vamos para outras características que me fascinam em pessoas reais (rsrsrsrsrs a parte obscura é meramente fictícia): Bom Humor e Simpatia! me encantei com Leo valdez, seu jeito irreverente de lidar com a vida, seus problemas, seu modo de agir, sempre com uma piada, o engraçado do grupo, o que se apaixona por qualquer moça bonita, que não tem medo de sujar as mãos (sendo filho de Hefesto não poderia ser diferente), o que conserta qualquer coisa com seu maravilho cinto de utilidades. Leo Valdez com certeza é meu personagem predileto de todos os livros do Rick Riordan sem dúvida, é muito amor. Amo seu jeito de ser e me enanto com seu modo de agir, mesmo tentando ser irritante, eu o amo.

d1c67bc3477ffc4fa8a3d18dedf3bfebPiper McLean (Heróis do Olimpo) – Piper é uma filha de Afrodite que não é fútil, é  descendente de Cherokee e muitas lendas Cherrokees se assemelham ao que a mitologia grega prega, há “magia” em seu sangue pelos dois lados da família e é dona de uma personalidade cativante, determinada e com sentimentos em montanha russa, já que em suas lembranças ela tinha um namorado e descobriu que essas lembranças eram falsas, foram plantadas em sua mente, mas, o carinho e admiração que ela sente permanece, como agir? será que há chance para os dois? ele possui uma vida antes dela e se ele já estivesse enamorado de alguém antes de conhecê-la? Piper tem um papel fundamental na batalha final, com suas características únicas de ser. Além do mais que eu adoro ela sempre ter uma pena no cabelo.

Deuses Preferidos 

Este é um campo minado, é sempre perigoso declarar a preferência por um e deixar de lado o outro sem haver parentesco envolvido, sabem como é né? deuses tendem a ser temperamentais. Possuo um grande carinho por Atena mas não seria sua filha, amo ler, mas nada tao complexo, e claro Poseidon, mais uma vez sem parentesco envolvido, não me daria bem com Ares por conta de sua natureza explosiva, embora tem filhos dele que escapa, Frank está ai para nos provar isso. Ártemis é bem legal, não poderia ser sua filha, mas uma de suas caçadoras talvez? não tenho essa  natureza de caçar, lutar, prefiro ficar na minha, quietinha, até com a magia de Hecate eu não me envolveria. acabo tendo uma boa afinidade com Hipnos, Morfeu os deuses do sono e dos sonhos, as vezes é só me encostar e já estou dormindo, alguém ai deve se identificar (rsrsrsrs) adoraria ser parente de Hefesto para por consequência ser parente do Leo Valdez, mas então ele não poderia ser meu namorado, é deixa para lá. Hades também me atrai com sua aura obscura, alguém precisa manter as coisas lá em baixo em ordem. Adoro em sua fase senil, várias gargalhadas garantidas de certeza.

Ó poderoso Zeus não me fulmine com seu raio por não ter sido mencionado, esta mera mortal nem sonharia em ter parentesco com o rei dos deuses, afinal, quem sou eu? (vai que cola)


Bom, é isso pessoal, não quero me estender muito, tentei ser sucinta e sei que deixei muita coisas e pessoas de fora. mas e vocês? Diz ai qual o(s) seu(s) personagens preferidos? e Série? já sabe seu pai/mãe deus(a) grega? ou está mais para romana, nórdica ou egípcia?

Espero que vocês estejam gostando da nossa Semana Especial Rick Riordan, amanhã vamos falar um pouco mais sobre as mitologias trabalhadas, alguma sugestão?

Até Amanhã!

Déborah Regina

Semana Especial Rick Riordan – Séries

Fala Galera tudo bem com vocês? vamos dar continuidade a Semana Especial Rick Riordan (Aplausos ensurdecedores). Hoje vamos falar das séries juvenis que o autor lançou (é, ele lançou séries adulta também, mas o foco não é esse), será que daqui para o fim do post eu decido qual a minha preferida?

Percy Jackson e os Olimpianos

picsart_12-19-12-39-40

Nesta série Percy descobre que os deuses gregos existem, estão fundidos com a cultura ocidental e toda sua magia e inimigos são bem reais, e olha que legal eles são parte da família dele, super bacana né? talvez não. Percy vive muitas aventuras, faz amizades e inimizades, sua família aumenta e sua vida fica cada vez mais confusa, ser adolescente já é complicado sem ter todo o mundo correndo risco no plano de fundo e você ser um dos poucos que sabem disso. Pégasos, deuses, profecias, primeiras experiências e confusões de sentimentos. Lealdade, amizade, família e dever nem sempre andam junto, será possível conciliar?

“Ser meio-sangue é perigoso. É assustador. Na maioria das vezes, acaba com a gente de um jeito penoso e detestável.” (Percy Jackson e o Ladrão de Raios)

Os Heróis do Olimpo 

picsart_12-19-12-41-34

Esta série nos traz Percy Jackson e todo o seu mundo após a batalha da série Os Olimpianos, e nos traz um acréscimo também: O Mundo Romano, com seus deuses, regras e deuses. Será possível um deus só ser vários? o aspecto romano dos deuses podem ser diferentes dos aspectos gregos? mesmo na diferenças eles são a mesma pessoa e por isso se ama não é mesmo? hã, acho que não é bem assim. Os semideuses gregos e romanos ficaram separados durante boa parte da história, porque será? o que deu origem a essa separação? será reversível? Nesta série os semideuses enfrentarão um novo desafio para (não podia deixar ser diferente) salvar o mundo. O primeiro livro da série, nos primeiros capítulos nos gera um estranhamento, esperamos ver Percy, mas não é o que ocorre e temos a chance de nos encantar com novos personagens.

 As Crônicas dos Kane

cronicas-irmaos-kane

Esta série tem a assinatura de Rick Riordan com sua escrita irreverente, momentos cômicos e é claro: muito conhecimento. Esta é baseada na mitologia Egípcia, temos os Carte e Sadie Kane como principais e todo sua saga ao descobrirem o mundo egípcio antigo ainda vivo na atualidade, após um acontecimento no museu o pai deles desapareceu e parece que alguns deuses foram libertados e nem todos eles estão felizes. As Crônicas dos Kane traz muitos termos desconhecidos para quem é estranho a cultura Egípcia, mas Rick Riordan nos conta tudo com sua simplicidade característica. Um elemento que eu gostei bastante nessa trilogia é que ela é narrada, tem muitos aspectos da oralidade, pois são transcrições de gravações de Carter e Sadie, é muito divertido ler entre parênteses “som de um soco, engasgo, cala a boca Carter, é melhor eu contar essa parte” etc, ri muito, achei incrível essa linha que o Rick seguiu, dando fluidez a história sem deixar de ser sua.

Crossover de Percy Jackson e os Kane

crossover

Como mundo greco-romano pode coexistir com o mundo egípcio? são muitos deuses, isso não deve dar certo. Nesse crossover Rick Riordan consegue com seu jeito único juntar Percy e Annabeth com Carter e Sadie, juntos devem impedir que um certo mortal (sem spoilers rsrsrs) consuma as divindades gregas e egípcias e se torne um imortal muito poderoso e perigoso. Narrativas contadas a partir do ponto de vista de Percy e Annabeth e de suas interações e amizades improváveis entre gregos e egípcios ao chegarem a conclusão de que a melhor coisa é manter os mundos separados.

Magnus Chase e os Deuses de Asgard

livro-magnus-chase-e-os-deuses-de-asgard-a-espada-do-verao-livro-1-rick-riordan-5525266

Quem ai que lê Rick Riordan reconhece o sobrenome “Chase”? É isso mesmo, Magnus é parente de Annabeth, primo para ser mais exata, e ele está envolvido com mitologia Nórdica, sabe aquela que remete aos vikings? odin, Loki, Thor (alguns desses nomes vocês devem reconhecer mesmo que não saiba de mitologia Nórdica, assistindo filmes dos vingadores ou o filho do Máskara). Não posso falar muito pois essa eu ainda não li, mas tem resenha aqui no blog feita pela Miriana para quem quiser ler e saber um pouco mais clique aqui. Rick Riordan explora a mitologia nórdica com seu modo de escrita característico, uma sutil ligação com personagens que já conhecemos e amamos, um livro com certeza com a assinatura de Rick Riordan.

As Provações de Apolo

CAPA_OraculoOculto_WEB

Enquanto Annabeth está com o seu pai na história de Magnus Chase, Percy Jackson recebe uma visita inesperada: O Deus Apolo. Apolo está de castigo graças aos caprichos de Zeus  e deverá provar o seu valor para ter a sua condição divina restaurada, muitos desafios deverão ser vencidos sendo um deles o ego nada diminuído de deus que o habita. Nesta jornada Apolo conhece melhor seus filhos do acampamento meio sangue e outros personagens, mesmo com a memória danificada ele reconhece algumas informações que podem lhe ajudar nesta difícil missão, mas afinal, qual é a missão mesmo? Zeus não foi muito especifico. Esta é cronologicamente concomitante com Magnus Chase e após Heróis do Olimpo, logo, podemos rever personagens queridos que conhecemos em Heróis do Olimpo e saber o que aconteceu com alguns deles. Uma resenha mais detalhada vocês podem ler clicando aqui


Há também vários livros avulsos e relacionados as séries, como o Diário dos Semideuses, Arquivos dos Semideuses, Guia Definitivo, Guia de Sobrevivência, e Percy Jackson e os deuses gregos. Por hoje é só pessoal (Aaaaaahhhhhh!) eu sei, eu sei, poderia ficar facilmente o dia todo aqui escrevendo sobre o assunto (rsrsrsrs), mas calma que amanhã tem mais.

E vocês? já leram todas? eu tenho um carinho especial pela Heróis do Olimpo (no post de amanhã eu explico melhor isso) e vocês têm uma preferida? quais tem vontade de conhecer? querem resenhas mais detalhadas das séries? por livros talvez? vocês que mandam, comenta ai para a gente 😉

Até o post de amanhã!

Déborah Regina

Semana Especial Rick Riordan – O início

wp-1482152224867.jpgFala galera tudo bom com vocês? desculpem o sumiço e para quem estava triste eu voltei!
A intrínseca, a minha, a sua, a nossa editora querida veio com uma ideia super bacana e tivemos que abraçar: A Semana Especial Rick Riordan (aaaaaêêêêê muitos aplausos, mais alto gente). Nesta semana vamos falar um pouco das obras incríveis do Rick Riordan, seus personagens e tramas e conto com a participação de vocês ai nos comentários. Vamos lá?
Minha mãe assim como eu, lê a sinopse, vê a diagramação da capa e acaba se interessando por um livro (no caso de não conhecer a história ou autor) sabemos que o conteúdo é o que importa, mas fazer o quê né? Assim, ela acabou comprando os volumes 2 e 3 de Percy Jackson e os Olimpianos (ela é péssima em ver aquele número que indica a continuação), na biblioteca onde fazia um curso achei o primeiro volume “Percy Jackson e o Ladrão de Raios” lembrei de já ter visto o filme e me interessei em ler o livro, ainda mais que tinha os volumes seguintes em casa… Assim conheci Percy Jackson e Rick Riordan.
Me interessei bastante pela história porque sempre me interessei por mitologia grega, minha mãe é formada em filosofia, então ela também tem interesse em mitologia grega e costumamos ter gostos parecidos. Toda a saga de Percy foi incrível para mim, a escrita do Tio Rick é clara, auto explicativa, bem estruturada, você lê, se diverte e aprende. Quando li que ele começou a escrever porque o filho tinha problemas em aprender por conta da dislexia, me interessei ainda mais. Parte da emoção de ler os livros do Rick Riordan é comparar a noção básica que eu tenho das mitologias com o que ele conta, ao mencionarem um personagem já tento lembrar a história dele e ver como ele se encaixará na história. Depois de ler as duas sagas gregas: Os Olimpianos e os Heróis do Olimpo eu parti para a egípcia Os Kane e ainda falta me inteirar da nórdica com Magnus Chase que ainda não li e terminar as provações de Apolo, ambas em construção ainda, estou no aguardo de mais livros. li os extras como manual do semideus e os arquivos do semideuses, acho simplesmente fascinante o modo como ele relaciona suas histórias.

Há críticas em relação as suas obras, alguns dizem que deveria ter parado na primeira saga do Percy e pronto, que escrever sobre a egípcia e a nórdica é uma repetição, como se a fórmula tivesse dado certo e por conta disso continua tentando e escrevendo mais. Eu, particularmente gosto, me divirto, aprendo sim, rio, choro, me assusto, me desespero, fico com raiva e surpresa, eu adoro os livros dele, até o adulto Cold Springs eu gostei e é uma pegada bem diferente das histórias juvenis e engraçadas do Percy jackson ou os Kanes.

Se você ainda não leu Rick Riordan, recomendo que leia, dá uma chance, são muitos livros? Sim. Você é obrigado a ler todos? Claro que não. Há uma sequência cronológica nos livros, mas nada lhe impede de ler na ordem que quiser, meu companheiro de blog Júnior Cunha só leu a saga Olímpianos e até onde sei ama Rick Riordan mesmo assim e em nada influencia a vida dele ele não ter lido os demais (só eu insistindo para ele ler claro). Eu recomendo, e principalmente se você gosta dos filmes de Percy Jackson você não faz ideia de como Percy Jackson é incrível e totalmente diferente do que é apresentado nas telonas, dê uma chance a leitura e se surpreenda.

Por hoje é só isso galera (aaaaaahhhhhh!!!!!) e vocês? Já leram Rick Riordan? Gostaram? Como conheceram o autor? recomendam? Conta ai para a gente, estou louca para saber a relação de vocês com o autor e suas obras.

Amanhã teremos mais Semana Especial Rick Riordan!

 

Déborah Regina

Resenha – Contos Peculiares

14433127_10154783205895579_1920789247605187583_n

Fala galera, tudo bom com vocês?

A resenha de hoje é de um livro simplesmente peculiar e fenomenal lançado no mês de Outubro pela editora Intrínseca. Acho que vocês já devem saber de qual se trata… Sim, ele mesmo, Contos peculiares, do autor Ransom Riggs, livro que faz parte da nossa queridinha e amada série peculiares. Vamos a resenha.

contospeculiaresgAutor: Ransom Riggs
Páginas:
208
Gênero:
Ficção
Editora: 
Intrínseca
Nota: 
🍦🍦🍦🍦🍦

Sinopse – O livro dentro dos livros, Contos peculiares é a coletânea de contos e fábulas citada ao longo da série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares – o livro com as histórias que os jovens peculiares escutam sua protetora contar e recontar.

Um menino que vira gafanhoto e foge com um grupo de gansos; uma princesa com língua de cobra à procura de um príncipe com quem se casar; canibais ricos que comem braços e pernas de peculiares que têm o dom de se regenerar são alguns dos personagens dessas narrativas que há séculos povoam o imaginário dos peculiares, oferecendo não apenas valiosas lições, mas também pistas para informações secretas, como a localização exata de certas fendas temporais, por exemplo. Compilado por Millard Nullings, o menino invisível acolhido no lar da srta. Peregrine, o livro inclui surpreendentes comentários e notas, além de um desfecho alternativo para a tocante história do gigante Cuthbert, já conhecida dos leitores da série.

Inusitado, surpreendente e divertido, Contos peculiares é ao mesmo tempo um delicioso complemento e uma porta de entrada para o rico universo criado por Ransom Riggs; um verdadeiro presente para quem não resiste à magia das boas histórias.


O livro reúne uma série de contos peculiares, como o nome já revela. São personagens que fazem parte desse universo criado pelo autor, e que nos dá com mais detalhes nestes contos. O livro contêm uma série de ilustrações ao decorrer de cada conto.

No primeiro conto – Os esplêndidos canibais – Temos a historia da aldeia peculiar de Swampmuck, onde a comunidade vive em harmonia, quando chegam ao local, canibais desnutridos. Com pena dos canibais um aldeão resolve ajuda-los, e resolve dar a sua perna que havia perdido em um acidente de trabalho. Agradecidos, os canibais lhe entregam uma boa quantia de dinheiro, o que de certa forma desperta o olho grande dos demais aldeões…

15322449_1326818560695672_868175169_o

No segundo conto – A princesa bifurcada – Uma linda princesa é destinada a se casar com um príncipe para dar continuidade a sua linhagem e fazer aliança com outro país, mas, a princesa possui uma peculiaridade que pode e vai acabar com essa possível união. É um conto que os remete a pensar sobre nossos próprios preconceitos…

15271305_1326822247361970_1108625378_o

No terceiro conto – A primeira Ymbryne – Neste conto vamos ficar sabendo como surgiu a primeira Ymbryne no mundo peculiar. Ymbryne é a responsável por cuidar dos demais peculiares nas fendas temporais, fazendo assim com que, esses peculiares fiquem seguros do mal que a sociedade pode fazer a eles.

15302301_1326822260695302_703396421_o

E assim, todos os 10 contos, possuem uma historia melhor do que a outra, e que trazem uma mensagem que nos faz pensar a respeito de certas coisas da vida. Desde atitudes que as vezes tomamos pensando ser o melhor, mas que nem sempre acaba sendo.

A edição como sempre está impecável, Intrínseca trabalhou pesado para agradar o público dessa série. Como leitor, blogueiro e entendedor dos gostos de quem é um leitor fanático, entendo que, nós leitores queremos sempre ser surpreendidos com edições maravilhosas e que nos despertem além da vontade de ler, a vontade de querer ter aquela bela edição na estante, nem que seja só para jogar na cara da sociedade que nossa coleção está simplesmente impecável (Podem falar a verdade, não é isso mesmo que acontece? rsrsrs). Parabéns pela belíssima edição Intrínseca.

sem-titulo


Então é isso pessoal, espero que tenham gostado da resenha. Comenta ai se pretendem ler o livro, ou se já leu… ou até se já leu os demais livros da série. Beijos e abraços. Até o próximo post.

Junior Cunha